Lançamento do observatório de género on line

Cabo Verde passou a dispor de um observatório de género, desde o passado dia O8 de Dezembro, um instrumento de produção de estatísticas, que vai estar online, seguindo todas as políticas do setor no arquipélago.

O Observatório de Género de Cabo Verde vai, para além de disponibilizar dados quantitativos, apresentar também uma abordagem qualitativa que visa fazer o seguimento das políticas públicas relacionadas com o género no país.

Este instrumento de produção estatística resulta de uma parceria entre o Instituto Cabo-verdiano da Igualdade e Equidade de Género (ICIEG), o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) e a ONU Mulheres.


O processo para a sua criação teve início em 2010, em 2011 a proposta foi apresentada e aprovada, mas só em 2012 o INE e o ICIEG assinaram um protocolo, estabelecendo acordos e responsabilidades de cada um.


Durante a apresentação, a presidente do ICIEG, Rosana Almeida, considerou que o observatório representa um «marco histórico» na promoção da igualdade de género em Cabo Verde.

Rosana Almeida disse que a análise dos dados com abordagem de género reveste-se de particular importância devido à assunção dos objetivos de desenvolvimento sustentável, que no aspeto de género almeja a igualdade efetiva entre homens e mulheres.


A representante da ONU Mulheres em Cabo Verde, Senhora Vanilde Furtado, considerou que, além da questão da igualdade de género, o observatório vai permitir respostas a outros compromissos assumidos por Cabo Verde a nível internacional e regional.



Segundo a mesma trata-se de um recurso facilitador e estimulador de análises, pesquisas, artigos científicos ligados à temática da igualdade e de género e do empoderamento das mulheres. Um contributo também para a mobilização de novas parcerias e mais recursos para financiamento sustentável da agenda de género no país, reforçou a responsável.

O presidente do INE, Senhor Osvaldo Borges, disse acreditar que, a partir de agora, o instituto estará em condições de apresentar todos os anos, a publicação “Homens e mulheres em Cabo Verde”, que tem sido apresentado de dois em dois anos.


O objetivo, segundo ele, é dotar o país de um instrumento que permite monitorizar, em tempo útil, todas as políticas existentes em matéria de género.